Programa de investigação e intervenção sobre a violência

O Contemporâneo Instituto de Psicanálise e Transdisciplinaridade é uma instituição de ensino e pesquisa que promove cursos de formação em nível de pós-graduação lato sensu, e há mais de dezesseis anos forma especialistas em Teoria Psicanalítica e suas aplicações no tratamento psicoterápico de crianças, adolescentes, adultos, casais e famílias.
 
A experiência clínica do Instituto Contemporâneo é reconhecida pela sua competência profissional e qualidade de atendimento. Em 2007 foi constituído no Instituto Contemporâneo um grupo de investigação e intervenção sobre violência familiar para refletir sobre os efeitos da violência na constituição psíquica e na ação social num campo mais ampliado da psicanálise.
A violência é multifacetada e está implicada a diferentes aspectos da vida que se expressam em conflitos relacionais e vinculares.
 
Com o objetivo de compartilhar nossas experiências, reflexões e estratégias de intervenção, o Instituto Contemporâneo busca desenvolver ações conjugadas com serviços governamentais e não-governamentais, oferecendo atendimentos clínicos a pessoas em situação de violência doméstica e familiar, com a perspectiva de romper o ciclo da violência. Colabora-se assim com a prevenção da violência, maus tratos, e abuso sexual, com uma alternativa de intervenção humanizada, de acolhimento e escuta psicológica, visando à qualidade do encaminhamento e atendimento psicoterapêutico individual e/ou em grupos, com o intuito de alterar os efeitos da violência com ações construídas em redes e compromisso de laços de solidariedade.
 
Ao longo de 16 anos de trabalho, o Contemporâneo tem constituído espaços transdisciplinares com as demais áreas do conhecimento filosófico e científico voltados ao ensino, à pesquisa e ao atendimento da comunidade, adotando uma perspectiva mais abrangente da Psicanálise. Nesses anos iniciamos parcerias com instituições públicas que atuam na área de atenção e de prevenção a diversas formas de violência. Atualmente o programa disponibiliza 50 vagas gratuitas para comunidades e organizações e desde o início dessas parcerias já atendemos mais de 300 pacientes.
 
O sujeito contemporâneo está inserido num contexto marcado pela instabilidade, vivências do efêmero, da fragmentação. Os papeis sociais, políticos e culturais estão em contínuo processo de reconstrução e reflexão das modalidades de ser e estar no mundo e suas relações de poder. Nesse contexto se incluem as transformações nas relações de gênero, que vêm desestabilizando modelos hegemônicos tradicionais de vivenciar o masculino e o feminino em suas conflitualidades em diferentes categorias, tais como: trabalho, família, sexualidade, corporeidade, generacionalidade, entre outros.)
 
No cenário nacional e internacional, estatísticas apontam um alto índice de violência doméstica, que passa a ser um problema a ser enfrentado por instituições públicas e privadas, pelo grau de sofrimento produzido em todos os aspectos e redes afetivas de convivência da vida. O enfrentamento da violência doméstica e familiar passa pela constituição de redes e dispositivos que ampliam alternativas e soluções para essa problemática, tratando o problema como de saúde pública e coletiva.
 
Atento a essa preocupação e por acreditar que a relação do sujeito com os outros e com o espaço social é constituinte de subjetividades, entendemos que a intervenção do profissional da saúde mental é imprescindível no enfrentamento da violência. O principal objetivo deste tipo de trabalho é, além de auxiliar nas questões psicológicas relativas a qualquer tipo de questão emocional e cognitiva, cumprir o papel de auxiliar na transição dos espaços, visto que, muitas vezes, as instituições implicadas não dão conta desta gama de situações e particularidades.
 
O atendimento oferecido pelo Contemporâneo abre possibilidades de mudanças, dando voz e escuta a cada um dos sujeitos envolvidos, possibilitando um trabalho efetivo, ampliando um campo de atendimento de atenção e prevenção de atos de violência, de vulnerabilidades sociais, criando novos significados a experiências vividas.
 
Para isso, estamos buscando parcerias com instituições públicas e privadas preocupadas com a atenção e prevenção da violência doméstica e familiar, e outras formas de violência. A psicanálise contemporânea se vale de alguns balizadores para acolher seus pacientes e cuidadores em diferentes situações, para dai compreender as particularidades e intervenções singulares de cada um junto aos seus parceiros, numa perspectiva da clínica ampliada. Dentre as ações que propomos, estão o atendimento individual a pessoas que vivem situação de violência, grupos reflexivos de gênero com homens, e grupos reflexivos de gênero com mulheres. Dessa forma, queremos construir um diálogo com potenciais parceiros para qualificar os cuidados necessários aos sujeitos implicados no processo de produção de saúde em suas complexidades. Ao realizar e efetivar parcerias estaremos possibilitando uma melhor sociabilidade no coletivo.